Gripen NG

O Gripen NG (E/F) é uma aeronave multifuncional de 4.5G, desenvolvida a partir da versão anterior (C/D) da família Gripen e possui uma maior capacidade de combustível, motor mais potente, maior capacidade de capacidade de transporte de cargas externas, avionica atualizada, capacidade super Cruise, redução da assinatura de radar (RCS), dentre outras melhorias. No final de 1970 os veteranos J-35 Draken e J-37 Viggen precisavam ser substituídos. Após vários estudos realizados pela Flygvapnet (Força Aérea Sueca) e com a aprovação do parlamento, optou se pelo desenvolvimento local de uma nova aeronave de combate. A partir deste momento coube a SAAB ( Svenska Aeroplan Aktiebolaget) a fabricação de um vetor que atendesse as necessidades e os princípios da defesa estratégica das forcas armadas suecas. Os principais requisitos eram operar a partir de bases dispersas utilizando rodovias públicas, possuir alta monobrabilidade, ser multifuncional, possuir baixo custo de operação e manutenção e uma manutenção e operação simplificada dependendo do mínimo de pessoas e equipamentos de terra. Com estas características nasceu o caça com os custos de operação mais baixos do mercado, com uma operação extremamente simplificada e com uma flexibilidade incomum.
O Gripen foi desenvolvido por um consórcio industrial que consiste Saab, Saab Microwave Systems (ex-Ericsson), Volvo Aero Corporation, Saab Avitronics e FFV Aerotech. Uma empresa de joint venture Gripen International, foi instituída pela Saab e BAE Systems para comercializar o Gripen para os mercados de exportação. No dia 9 de dezembro de 1988 o primeiro protótipo do JAS-39 A Gripen (39-1 monoposto) ganhou os céus da Suécia pilotado por Stig Holstrom, isso acalmou um pouco os “desânimos” no Ministério da Defesa Sueco, em seguida iniciou-se a construção do segundo protótipo, uma variante biposto denominada JAS-39 B com a numeração 39-2, que seria utilizada no treinamento dos pilotos.
Antes mesmo de terminado o segundo protótipo, o 39-1 foi perdido no dia 2 de fevereiro de 1989, menos de três meses depois de voar pela primeira vez. Durante uma decolagem o software FBW da “máquina” desviou-a da pista causando além da perda da aeronave, ferimentos no piloto Lars Radestroem que testava a aeronave. O trabalho para reprogramar o software e corrigir problemas conduziu a mais atrasos no Programa.Com os problemas resolvidos o segundo protótipo (39-2) executou seu primeiro vôo no dia 4 de maio de 1990. O terceiro protótipo a voar era na verdade o quarto protótipo (39-4), que começou a ser construído depois do 39-3 (terceiro protótipo), mas devido à eletrônica adicional no 39-3 este demorou mais para ser terminado. O 39-4 voou pela primeira vez em 20 de dezembro de 1990 e o 39-3 em 25 de março de 1991, o mesmo foi o primeiro protótipo provido com radar. O quinto e último protótipo o 39-5, fez seu primeiro vôo em 23 de outubro de 1991. Em junho de 1992 terminou a fase de testes dos protótipos e em 4 de março de 1993 voou o primeiro Gripen de produção. O Gripen foi projetado para ser extremamente flexível, eficiente e possuir uma elevada capacidade de sobrevivência em combate aéreo. O Gripen foi à primeira aeronave sueca multifuncional produzida para interceptação, ataque e reconhecimento, consequentemente recebeu a abreviação sueca JAS – Jakt (interceptador), Atak (Ataque) e Spaning (Reconhecimento), indicando que o Gripen é uma aeronave de caça multi-role/swing-role (multifuncional), que pode executar tanto missões ar ar, ar superfície ou de reconhecimento. O JAS 39 Gripen recebeu o nome através de um concurso público realizado em 1982. O Grifo é o animal mitológico com com cabeça e asas de águia, e corpo de leão utilizado no logotipo da SAAB, e simboliza às características multirole da aeronave. Além disso, o grifo é o animal símbolo do brasão da Östergötland, a província em que está sediada Saab AB (Estocolmo).O Gripen demo "New Technology Demonstrator" que Dara origem ao Gripen NG (E/F), foi apresentado em 23 de abril de 2008. Ele possui uma maior capacidade de combustível, motor mais potente, maior capacidade de transporte de carga, avionica atualizada, capacidade super Cruise, redução da assinatura de radar (RCS), dentre outras melhorias .O novo Gripen NG (Next Generation) terá muitas peças novas e será alimentado pelo motor GE F414G Volvo Aero, que possui 60% dos componentes fabricados nos EUA pela General Electric e 40% pela Volvo Aero na Suécia. Este motor é uma evolução do General Electric F414-GE-400 propulsor do F/A-18E/F SH. O motor irá produzir um empuxo 20% maior de 98 kN (22.000 lbf), permitindo uma velocidade de Mach 1,1 sem a utilização de pós combustor dando a capacidade supercruise ao vetor. Comparado com o Gripen D, o peso decolagem máximo do Gripen NG aumentou de 14.000 para 16.000 kg (lb 30,900-35,300), com um aumento do peso vazio de 200 kg (lb 440). Devido ao trem de pouso principal realocados, a capacidade interna de combustível aumentou em 40%. A nova configuração de chassi também permite a adição de dois pilones pesados a fuselagem. As versões do Gripen A, B, C e D podem ser equipadas com até 3 tanques de combustível externos com capacidade para 300 galões, já as versões E e F poderão ser equipadas com até 4 tanques de 450 galões, o que juntamente com o acréscimo de 40% na capacidade de combustível interno proporciona um grande aumento de alcance ao Gripen NG em relação as versões anteriores. O Gripen C/D utiliza o radar PESA PS-05 A desenvolvido pela Ericsson e pela GEC-Marconi, que é baseado no avançado radar Blue Vixen do Sea Harrier (Que também inspirou o radar do Eurofighter o CAPTOR), porem o Gripen NG utilizara o radar ES-05 Raven AESA desenvolvido pela selex galileo e pela SAAB. O ES-05 é um desenvolvimento do PS-05 A PESA. O mesmo terá um ângulo de varredura de 200 graus e um alcance máximo para alvos do tamanho de caças de 120 km. O ES-05 será alocado em uma base giratória e ficara inclinado em um ângulo de cerca de 40º, o que beneficiará a redução do RCS da aeronave, já que as ondas dos radares inimigos serão refletidas para outra direção que não a do radar emissor. Alem do radar o Gripen utiliza um sensor de busca e rastreamento passivo, o Skyward-G, desenvolvido pela Selex Galileo, que é composto por um sensor eletro óptico com um sistema IRST/FLIR. O Gripen NG tem um conjunto de sensores totalmente integrado com flexibilidade total de armas e é capaz de carregar armas proveniente de fornecedores do mundo todo. A sobrevivência é garantida através de um equilíbrio entre o baixa assinatura de radar, infra-vermelho e um avançado sistema de Guerra Eletrônica e de auto-proteção. Seu sistema de arma avançado permite que a futura nova geração de armas sejam facilmente integradas, para serem empregadas contra as ameaças de amanhã e que satisfaçam as necessidades de sua nação. O Gripen NG possui 10 pontos duros para transportar cargas úteis, dando varias possibilidade de configurações de transporte. A Saab Avitronics é responsável pela suíte de guerra eletrônica EWS 39, que foi encomendada pela Força Aérea da Suécia. O EWS 39 é um sistema integrado de contramedidas eletrônicas e de interferência (Jammer), o mesmo fornece a capacidade de alerta de radar RWR (Radar Warning receiver), de lançamento de míssil MLWS (missile launch and warning systen), que é composto por 4 sensores denominados wing tip units (WTU), que são localizados nas extremidades dos lançadores das pontas das asas, alem dos dispersadores de chaffs e flares e de iscas eletrônicas rebocáveis. O chamariz rebocado Celsius Tech Electronicas BO2D é lançado pelo lançlador BOP/B, que fica instalado atrás dos cabides de armas do Gripen. Um sistema que merece destaque é o data link CDL39 (Communication and Datalink 39) - TIDLS (Tactical Information Datalink System ) do JAS-39 Gripen. O CDL39 é o melhor e mais seguro data link do mundo. O mesmo pode conectar 4 aeronaves em link de banda larga e duas vias em tempo real e possui um alcance de 500km que pode ser estendido com retransmissão e também possui alta resistência a interferência. Cada uma das quatro aeronaves (Caças e/ou AWAC) usa 25% do tempo transmitindo. Outra conexão é feita com o solo pelo centro de comando. Os suecos dizem que só é possível interferir no TIDLS se o interferidor for colocado entre dois Gripens, o que é extremamente difícil de sustentar taticamente.O Gripen NG teve como foco a redução da assinatura de radar RCS, que na versão A era de 0,5m2 no setor frontal, já na C é de 0,1m2 e na versão E será inferior a 0,1m2 ficando próximo a 0,05m2. Grande parte da redução do RCS do NG (E/F) se deve a pequena aérea alar da aeronave, inclinação da face do radar, grande utilização de materiais compostos na estrutura da aeronave e as pequenas alterações na forma do vetor visando a redução da assinatura EM do vetor.
O Gripén pode ser equipado com o POD Thales DJRP (Digital Joint Reconnaissance Pod) e com o POD Rafael Litning.A Saab está respondendo ao RfI (Request for Information) da Índia para o desenvolvimento de uma versão naval do Gripen NG, denominada Sea Gripen. um projeto de aeronave para operações em navio-aeródromo STOBAR (”short take-off but arrested recovery”), mas esta versão depende de encomendas por parte do Brasil ou da índia. Os estudos para uma versão navalizada do Gripen começaram na década de 80 na Suécia. O Sea Gripen será possível pelas características inerentes ao Gripen e as mudanças estruturais introduzidas no Gripen NG. Ele foi projetado para operar em todas as especificações de um navio-aeródromo convencional, com peso máximo de decolagem de 16.500kg e peso de pouso (com armas e combustível) de 13.500kg. Os mesmos parâmetros o tornam capaz de operar em navios STOBAR. Qualquer Gripen pode operar de uma pista padrão sueca de 800m x 17m, sem gancho ou paraquedas. Com os controles de vôo existentes e a baixa velocidade de pouso, o Gripen é totalmente compatível com o ambiente naval.
Algumas mudanças terão de ser feitas no Gripen NG para o mesmo se tornar o caça naval Sea Gripen, estas incluem um trem de pouso do nariz mais longo e mais forte, com pneus maiores e um novo sistema de absorção de choque. Um novo trem de pouso principal para absorver choques com razão de descida de 6,3 m/seg, um gancho de parada reforçado e reposicionado, remoção de riscos de corrosão da estrutura com novos materiais, integração com o sistema de aproximação e pouso do navio-aeródromo. O resultado destas modificações será uma aeronave com peso vazio em torno de 8.000kg, com um total de combustível e armas de 8.500kg. O raio de combate está estimado em torno de 1.250km em configuração de ataque marítimo e 1.400km em configuração de caça de defesa da frota (CDF). A vida útil da célula da aeronave é estimada em torno de 8.000h com pousos embarcados e em terra.

FICHA TÉCNICA
Velocidade de cruzeiro: 1358Km/h,844 Mph ou 733Nós (mach 1,1) 
Velocidade máxima: 2470Km/h,1535Mph ou 1333Nós (mach 2)
Razão de subida: 15240 m/min
Fator de carga: 9 Gs
Taxa de giro: 30º/s
Razão de rolamento: 220º/s
Alcance 4.070 km (Com4 tanques externos)
Raio de ação 1300km (4 mísseis BVR, 2 WVR e 2 tanques externos)
Alcance do radar: 120 km
Empuxo:GE F414G Volvo Aero com 9800 kgf (22.000 lbf)
DIMENSÕES
Comprimento 14.1m
envergadura 8.4m
Altura: 4.5
Peso vazio 7.000kg
ARMAMENTO
Capaciade de carga armamento: 6.000kg
Interno: Canhão Mauser BK-27 de 27mm montado internamente com cadencia de 1000 a 1700 tiros / minuto, com capacidade para 120 muniçoes.
Ar Ar: Míssil MBDA MICA, AIM-120 AMRAAM, MBDA Meteor, R-DARTER, DERBY, A-DARTER, Sidewinder, IRIS-T, Python 4/5, AIM-9X SIDEWINDER, AIM-132 ASRAAM.
Ar Terra: Míssil AGM-65 Maverick, RBS-15F antinavio, Brimstone, TAURUS KEPD, EADS/Bofors DWS 39, RBS-15F.
Bombas guiadas: paveway II, III e IV, Lizard II e III,GBU 39/B, JDAM/JDAM ER, AGM-154 JSOW, SPICE.
Bombas burras: MK 80 series.

Abaixo um video mostrando um puco do gripen.